Église de la Madeleine

© Paris Tourist Office -  Marc Bertrand
© Paris Tourist Office – Marc Bertrand

Instalada no 8° distrito de Paris, a Igreja de la Madeleine é uma das mais famosas de Paris. De seus degraus podemos ver o Obelisco da Place de la Concorde e ao fundo o Palais Bourbon, sede da Assembléia Nacional Francesa, o qual tem a fachada alinhada à da Madeleine.

HISTÓRIA
Em 1806, Napoleão Bonaparte decide erigir um “templo à glória das vitoriosas forças armadas francesas” para homenagear a coragem e heroísmo de seus soldados (e claro, de si mesmo). Um concurso é aberto e 80 arquitetos se empenham em traduzir a grandiosidade que o Imperador exigia para o monumento. Napoleão então escolhe o projeto do arquiteto Pierre-Alexandre Vignon, inspirado nos templos da antiguidade Greco-Romana. A igreja tem a forma exterior de um templo grego, com a colunata que se impõe na perspectiva das grandes avenidas que a circundam. Porém, em 1813, Napoleão desiste da construção, após a frustrada campanha da Rússia.

Mas o projeto não ficaria parado por muito tempo, pois o século 19 foi um dos mais agitados na França e, logo após a queda de Napoleão, em 1815, a família dos monarcas Bourbon está de volta ao poder. O rei Louis XVIII retoma a ideia do Imperador e decide construir uma igreja dedicada à memória de seu irmão, o rei Louis XVI e à rainha Maria Antonieta, ambos decapitados na Place de la Concorde durante a Revolução Francesa. Porém, nesse período a França enfrentava uma crise econômica e as obras da igreja se arrastaram. Em 1828, morre o arquiteto Vignon e, em 1830, uma nova revolução instaura a Monarquia Constitucional, com o rei Louis-Phillipe no poder. O novo rei queria distância de qualquer associação com os reis Bourbon e decide transformar o projeto em uma estação de trem! Porém, logo ele volta atrás e ordena a continuação do projeto, desta vez sem associá-lo à memória de Louis XVI.

ARQUITETURA
A decoração interna é então modificada pelo arquiteto Jean-Jacques Huvé que se inspira nas termas romanas antigas e no Panteon de Roma para construir o espaço. O interior é iluminado por três grandes cúpulas e dos dois lados da nave central nichos abrigam as estátuas dos santos. A porta monumental em bronze é maior do que a da Basílica de São Pedro em Roma e nela vemos cenas bíblicas dos Dez Mandamentos.

Uma linda escultura no altar, feita pelo artista Charles Marochetti, tem como tema o “Arrebatamento de Maria Madalena”. A igreja é dedicada à santa Maria Madalena pois, em 1824, uma parte do relicário da santa é dada como presente ao rei Louis XVIII. Segundo a tradição, Maria Madalena teria vindo para o sul da França no final de sua vida, e lá teve visões nas quais era amparada por anjos, que elevavam sua alma aos céus. A escultura do altar nos impressiona, pois recebe uma iluminação direta que contrasta com a penumbra da nave central e, quando nos aproximamos, temos a impressão de que os anjos dançam ao redor da Santa que ascende aos céus.

PROGRAMAÇÃO CULTURAL
A Igreja é também conhecida pela intensa agenda de música clássica. Orquestras de violinos, apresentações de corais e recitais compõem a programação que fica disponível no site da igreja. Todos os anos acontece, em setembro, o festival cultural da “Lavage de la Madeleine”, uma festa inspirada na lavagem da escadaria da Igreja do Senhor do Bonfim, em Salvador.

Aqui no Le Plat du Jour já foi publicado um vídeo com um passeio pelo oitavo distrito de Paris onde podemos ver a Église de la Madeleine. Para assistir ao vídeo, clique aqui. 

PARA ACESSAR
Église de la Madeleine – Place de la Madeleine, Paris, 75008.
Horário: 9h30 às 19h
Metrô: Madeleine (linha 8)

Caroline Ribeiro é brasileira, formada em cinema e atualmente cursa o terceiro ano de História da Arte e Arqueologia na Universidade Paris-Sorbonne. Ela organiza passeios culturais guiados por Paris junto com sua amiga, a também brasileira, Helena. Para saber mais sobre os passeios, clique aqui.