La Cathédrale Notre-Dame de Paris

Foto: Paris Tourist Office  - Sarah Sergent
Foto: Paris Tourist Office – Sarah Sergent

A Catedral Notre-Dame é um dos monumentos mais emblemáticos de Paris. Obra prima da arquitetura gótica, ela está localizada na Île de la Cité, o centro histórico da capital, e é dedicada à Nossa Senhora. A igreja recebe em média 13 milhões de visitantes por ano vindos do mundo inteiro. Em dias “normais” passam por lá cerca de 30 mil pessoas e, em dias de grande fluxo, esse número pode chegar a 50 mil.

ARQUITETURA
Com uma superfície total de 4800 m2, a catedral demorou quase dois séculos para ser construída, de 1163 a 1345. No seu interior, os arcos de ogiva com 33 metros de altura compõem uma arquitetura monumental ao lado de enormes vitrais coloridos – somente a rosácea que decora a fachada principal tem 13 metros de diâmetro! Os visitantes mais corajosos podem subir os 422 degraus que conduzem até as torres da igreja. Além de ver as famosas gárgulas de pertinho, de lá de cima têm-se uma vista incrível!

Em frente a fachada principal, no Parvis da praça Jean-Paul II, está localizado o ponto zero de Paris. Esse é um marco geográfico que serve de referência para calcular a distância entre a capital e as demais cidades francesas. Diz a lenda que as pessoas que pisarem nesse marco voltarão sempre para a cidade luz!

RELÍQUIAS DA PAIXÃO DE CRISTO
A catedral conserva três das mais preciosas relíquias da Paixão de Cristo: fragmentos da coroa de espinhos, um pedaço da cruz onde Jesus foi crucifixado e um prego. Os fragmentos da coroa de espinhos estão guardados dentro de um tubo de cristal e ouro. Inicialmente, essas relíquias ficavam na Sainte Chapelle, uma igreja também localizada na Île de la Cité, construída no século XIII por Luís IX (São Luís) para abrigar a coroa de espinhos. Porém, durante a Revolução Francesa, a Sainte Chapelle foi invadida e as relíquias destruídas. O que restou delas foi transferido para a Notre-Dame e fica exposto para a veneração dos fiéis na primeira sexta-feira de cada mês, às 15h, e na sexta-feira santa, das 10h às 17h.

IMPORTÂNCIA POLÍTICA E CULTURAL
Além da sua importância religiosa, a Notre-Dame de Paris tem também uma grande importância cultural e política para a França. Em inúmeras ocasiões, ela esteve no centro da história do país. Durante a Revolução Francesa, foi ocupada e sofreu com atos de vandalismo e roubo. As esculturas do interior foram destruídas e as estátuas dos reis presentes na fachada foram “decapitadas” – as cabeças foram encontradas anos mais tarde e hoje estão conservadas no Museu Cluny (Museu Nacional da Idade Média).

Em 1804, Napoleão escolheu a igreja como palco da sua coroação e ali foi proclamado imperador francês pelo Papa Pio XII. Em 1944, aconteceu em seu interior a cerimônia de Liberação de Paris, após ter sido ocupada por 4 anos durante a Segunda Guerra Mundial. Na catedral também foram realizados funerais de personalidades francesas importantes, como o ex-presidente François Mitterrand.

Na literatura, a igreja ganha destaque com o romance Notre-Dame de Paris, escrito por Victor Hugo, em 1831. A história do corcunda Quasímodo que se apaixona pela cigana Esmeralda é conhecida no mundo todo e colaborou para que o interesse público aumentasse em relação ao monumento.

INFORMAÇÕES PRÁTICAS
A igreja fica aberta das 8h às 18h45, de segunda a sexta, e das 8h às 19h15, aos sábados e domingos. A entrada é gratuita. A visita das torres é paga e custa 8,50 euros por pessoa.

COMO ACESSAR
6 Parvis Notre-Dame – Praça Jean-Paul II, 75004 Paris
Metrô: Cité ou Saint-Michel (linha 4), Hôtel de Ville (linhas 1 e 11), Maubert-Mutualité ou Cluny – La Sorbonne (linha 10) e Châtelet (linha 1, 4, 7, 11, 14)
RER: Saint-Michel – Notre-Dame (linhas B e C)

Aqui no Le Plat du Jour já foi publicado um vídeo com um passeio por dentro da Notre-Dame de Paris. Para assistir, clique aqui.

Helena Ribeiro é brasileira, atriz e mestre em Estudos Teatrais pela Universidade Paris 8. Atualmente cursa o segundo ano de História da Arte e Arqueologia na Universidade Paris-Sorbonne e organiza passeios culturais guiados por Paris junto com sua amiga, a também brasileira, Caroline. Para saber mais sobre os passeios, clique aqui.