Le Jardin des Tuileries

tuileries

O Jardin des Tuileries é o jardim público mais vasto e mais antigo de Paris.  Foi construído no século XVI sob ordens da então rainha da França Catarina de Médicis. Em 1564, ela manda construir um  Palácio (Palais de Tuileries) e um jardim onde pudesse passar o seu tempo livre. O palácio foi construído próximo ao Louvre, onde antes ficavam três fábricas de telhas (tuiles). A partir de 1664, o célebre jardineiro do rei, André Le Nôtre, responsável pelos jardins do Château de Versailles, dá ao lugar um aspecto à la française, ou seja, organiza as plantas privilegiando a perfeição das formas e a linearidade.

O Palácio de Tuileries foi incendiado pelo povo e pelos revolucionários durante a comuna de Paris, em 1871, mas, felizmente, o jardim sobreviveu e tornou-se um dos parques mais frequentados da capital.

Um passeio por ali é como andar em um museu a céu aberto: esculturas de grandes artistas como Maillol, Rodin e Giacometti enfeitam as alas do parque.

EVENTOS DURANTE O ANO

Durante os meses de verão o jardim fica florido, parisienses e turistas disputam um cantinho ao sol alongados em uma das diversas cadeiras de ferro disponíveis gratuitamente. Em julho e agosto, uma Fête Foraine também faz a alegria das crianças, com trem fantasma, roda gigante, tobogã, jogos de tiro ao alvo, pipoca, algodão doce, maçã do amor…

No início de junho acontece um evento de paisagismo e design de móveis de jardins e plantas chamado Jardins, Jardin. O evento propõe ateliês, conferências, exposições e reúne designers, arquitetos, jardineiros e paisagistas que são convidados a apresentar projetos que conciliem natureza e cidade. Se você quiser descobrir a história e a origem das plantas, árvores e flores que enfeitam os jardins de Paris, há uma livraria dedicada ao assunto na Place de la Concorde, ao lado da entrada principal do Jardim.

Todos os anos acontecem também por ali alguns desfiles de moda do Paris Fashion Week.

MUSEUS INSTALADOS NO PARQUE

Além de todos esses eventos, o complexo do Tuileries abriga permanentemente dois importantes museus: o Musée de l’Orangerie e o Jeu de Paume.

Orangerie é dedicado ao Impressionismo e ao Pós-Impressionismo com obras de Cézanne, Matisse, Picasso, Renoir, Modigliani e as famosas Nymphéas de Monet (faça aqui uma visita virtual no site do museu para conhecer esta obra). Aliás, foi o próprio Monet quem escolheu o museu d’Orangerie para acolher o ciclo das Nymphéas. O pintor doou esta obra ao estado após o fim da Primeira Guerra Mundial, como símbolo de paz. O artista queria oferecer aos parisienses um refúgio em pleno coração de Paris. Um lugar de paz, meditação e poesia.  Orange em francês quer dizer laranja e o nome Orangerie foi dado porque o local abrigava antes uma estufa de laranjeiras.

Já o Jeu de Paume recebe exposições de fotografia e imagens do século XIX até os dias atuais. O lugar também abriga um cinema onde são apresentadas retrospectivas em homenagem a cineastas da cena independente. O edifício foi construído em 1861, durante o governo de Napoleão III, como salas para a prática do jeu de paume, um jogo antigo que se parece com o tênis. Se você gosta de arte contemporânea, não deixe de conhecer este museu quando estiver em Paris, ele é pouco conhecido pelos turistas mas propõe sempre exposições muito interessantes, sobretudo de fotografias.

UMA PAUSA PARA O CAFÉ

Enfim, instalado no coração da cidade, vale a pena incluir o Jardin des Tuileries durante uma visita à capital. Depois de conhecer o Louvre, antes de fazer compras na Rue Saint-Honoré ou então de bater pernas pela Champs-Élysées, o parque fica em um ponto estratégico e te convida a uma pausa para o café (existem 4 quiosques de cafeteria dentro do jardim) contemplando suas fontes, plantas e esculturas.

Aqui no Le Plat du Jour já foi publicado um vídeo com um passeio pelos jardins e, de quebra, a receita do crepe suzette. Para ver o vídeo, clique aqui.

COMO ACESSAR

Place de la Concorde – 75001 Paris – GPS : 48.8634916 / 2.327494300000012
Métro: Concorde (linhas 1, 8 e 12) e Tuileries (linha 1)
Ônibus: 21, 24, 27, 42, 68, 69, 72, 73, 81, 84, 94, 95
RER: Musée d’Orsay

 

Helena Ribeiro é brasileira, atriz e mestre em Estudos Teatrais pela Universidade Paris 8. Atualmente cursa o segundo ano de História da Arte e Arqueologia na Universidade Paris-Sorbonne e organiza passeios culturais guiados por Paris junto com sua amiga, a também brasileira, Caroline. Para saber mais sobre os passeios, clique aqui.