Le Centre Pompidou

© Paris Tourist Office -Amélie Dupont
© Paris Tourist Office -Amélie Dupont

Em 1969, o presidente Georges Pompidou lança o concurso para a construção de um centro cultural, parte de um grande projeto de renovação urbanística e revitalização da região central de Paris. O espaço deveria abrigar um museu, uma biblioteca pública, espaços para exposições, cinemas e teatros. O jovem arquiteto italiano Renzo Piano e o engenheiro britânico Richard Rogers ganham o concurso com uma proposta ambiciosa e revolucionária. Eles imaginaram o centro como um espaço permeável, onde os limites entre a cidade e a cultura fossem abolidos.

ARQUITETURA
Uma grande praça, que ocupa metade do espaço reservado ao projeto, foi construída com uma leve inclinação que convida os transeuntes a ali descansarem. A praça se estende até o interior do prédio, no grande hall de entrada, como se a cidade e o Centro Pompidou não tivessem barreiras entre si. Mas essa não é a única inovação do projeto arquitetônico, pois Richard Rogers criou uma nova tipologia de construção, na qual todos os elementos de estrutura e de função são expelidos para fora do edifício, deixando assim o espaço interior livre de colunas, pilares, escadas e tubulação. Rogers criou grandes planos sem interrupções e para isso ele desenvolveu um sistema moderno e complexo de sustentação do edifício. Com o espaço interior livre, existem possibilidades infinitas do uso, com módulos móveis que são ideais para um museu ou área de exposições. Um sistema de cores reforçam a estética e identificam as funções: vermelho para as escadas e elevadores, azul para a tubulação de ar, amarelo para a eletricidade e verde para o encanamento de água.

O Centro Pompidou é finalmente inaugurado em 1977 e recebe muitas críticas: “feio como uma refinaria de petróleo” que “estraga a harmonia dos prédios parisienses”. No entanto, as reclamações parecem não ter afetado a freqüentação, pois desde o início o lugar atrai milhares de visitantes todos os anos. Atualmente o projeto do Centro Pompidou é considerado um dos mais importantes monumentos arquitetônicos do século XX.

PROGRAMAÇÃO
Além da arquitetura única, ali também funciona um dos mais importantes museus de Arte Moderna e Contemporânea do mundo. São mais de cem mil obras assinadas por artistas como Picasso, Matisse, Chagall, Andy Warhol, entre outros.

Sua programação cultural intensa inclui inúmeras conferências, exposições temporárias, uma grande biblioteca, salas de cinema e teatro, além de espetáculos musicais. Quando você for conhecer o Centro Pompidou, não deixe de visitar a lojinha com vários objetos de design e também o último andar do prédio, de onde se tem uma vista privilegiada de Paris.

Aqui no Le Plat du Jour já foi publicado um vídeo com um passeio pelo centro da cidade e o Centro Pompidou. Para assistir clique aqui. 

COMO ACESSAR
Centre National D’Art et de Culture Georges-Pompidou. Place Georges-Pompidou, 75004, Paris.
Metrô: Rambuteau (linha 11), Hôtel de Ville (linhas 1 e 11), Châtelet (linhas 1, 4, 7, 11 e 14)
RER: Châtelet Les Halles (linhas A, B, D)
Ônibus: 29, 38, 47, 75

Caroline Ribeiro é brasileira, formada em cinema e atualmente cursa o terceiro ano de História da Arte e Arqueologia na Universidade Paris-Sorbonne. Ela organiza passeios culturais guiados por Paris junto com sua amiga, a também brasileira, Helena. Para saber mais sobre os passeios, clique aqui.